Nossas forças interiores

mente_2Todo ser aspira e respira. O homem aspira, respira e pensa. O pensamento, para o homem, é a base de suas aspirações, e estas fazem o seu futuro. As infinitas e diversas inteligências que vivem nos mundos atômicos esperam, ansiosamente, as aspirações (anelos) e respirações do homem para, assim, servi-lo e obedecê-lo. O mundo dessas inteligências é o mundo interno.

O que prende o homem à matéria e à ignorância é o seu pensamento voltado para fora, para o mundo de maya. O pensamento do homem deve sempre se voltar para o sol íntimo, que é seu próprio SER, seu próprio ÍNTIMO.

Os átomos, como todos os demais seres, têm hierarquias. Pensar alto e aspirar profundamente é atrair para si as mais evoluídas inteligências do universo através de um processo de imantação. Se o corpo humano é a miniatura do universo, por isso mesmo pode-se estudar a natureza inteira, à partir do conhecimento de si mesmo.

Sempre que um homem quiser alcançar a ILUMINAÇÃO INTERIOR ou a sabedoria deve anelar, concentrar-se e respirar átomos de luz; se alguém quiser adquirir a Beleza [uma das VIRTUDES mencionadas anteriormente], deve pensar, respirar e anelar a Beleza; e quem quiser chegar a ser Deus deve pensar, anelar e respirar Deus.

Quem quiser chegar a encarnar a Verdade deve sempre falar e cultivar a verdade, e assim, sucessivamente, com todas as dezenas de Donzelas do Ser ou VIRTUDES que estão adormecidas dentro de nós, esperando que as despertemos e as expressemos em nosso dia a dia.

Bondade, suavidade, gentileza, carinho, serenidade, sabedoria, humildade, castidade, santidade, diligência, entrega, dedicação, esmero, disciplina, amor ao trabalho espiritual são alguns exemplos de Donzelas de nosso Ser que precisamos descobrir, cultivar, desenvolver e expressar todo o tempo.

O Conhecimento de si mesmo

Cada centro, vórtice ou chakra está sob o governo de um Deus Atômico. O conjunto de centros formam a Universidade do Espírito, onde nos graduamos nos ARCANOS da Ciência Superior. Assim como nas universidades humanas, ali também devemos estudar, fazer exames e conquistar o direito de passar de ano (ou de grau). A Iniciação é o caminho que nos leva aos Graus Superiores da Universidade do Espírito.

A meditação, reflexão, análise e mapeamento de nossa psique ou de nossa mente fazem parte de nossos sistemas e técnicas de estudo; quem medita, analisa e estuda as inúmeras manifestações do Ser e também as manifestações de seus Egos durante o dia, cedo ou tarde chegará a autoconhecer-se profundamente.

O homem que se dedica à ciência sagrada do Ser faz com que todo seu corpo se transforme num poderoso ímã, passando a atrair e a absorver muita força e energia, e essas, formam em torno do corpo um poderoso campo de força que impede a penetração de átomos destrutivos.

Sabemos que um homem é bom ou mau consoante a natureza dos seus pensamentos e sentimentos ou de seus átomos. Uma forte saúde e disposição física, mental e psíquica é a única maneira de conquistarmos os átomos de luz. As enfermidades quase sempre refletem a presença de átomos negativos em nosso mundo interno.

Os estimulantes, como a bebida alcoólica e as drogas, estimulam o sangue e o sistema nervoso, e com isso, estimulam também os átomos inferiores alojados abaixo do umbigo. Esses átomos, quando excitados, obstruem o caminho que conduz ao reino interno; sem as instruções provenientes da parte superior do Reino Interno, passamos a receber, em seu lugar, orientações dadas por átomos e inteligências da parte inferior do reino.

Com isso, somos desviados da Senda. Por isso, desde o começo, ensinamos a ciência do reconhecimento, da prática e da expressão das Donzelas ou VIRTUDES do SER, que são, justamente, a mesma expressão de nosso Ser, no aqui e agora de nossa vida.

No coração, além do átomo Nous, temos um átomo guardião que abre e fecha as portas que dão acesso ao Reino Interno do Íntimo. Se o pensamento é forte e puro, a porta nos é franqueada; do contrário, temos que voltar noutra oportunidade com melhor preparo e estado de espírito. Por outro lado, na parte inferior da coluna temos o átomo das trevas, a antítese de Nous.

Esse átomo sempre intenta enviar suas hostes infernais para atacar os guerreiros de Nous. Porém, as portas do Reino sempre estão fechadas para eles. Se isso não acontecesse, o Inimigo Secreto estenderia seus domínios até as regiões celestiais, e com isso o mal não teria fim. O mesmo acontece no Macrocosmo. Se o mal não tivesse um limite, hoje o universo seria uma Babilônia, um prostíbulo, um cassino, enfim, o inaceitável, o inimaginável.

O homem é um reino dividido: até o umbigo ou metade da coluna imperam os átomos de Nous; a metade inferior é governada pelo rei do inferno, conhecido como Satã, o átomo do Inimigo Secreto. No sacro ou região inferior da coluna estão os arquivos do passado. Por esse motivo, O V.M. Samael, em seus livros, diz que o passado é Satã.

Se alguém quiser saber seu futuro deve penetrar, mediante a meditação profunda, nos luminosos arquivos localizados na cabeça e governados pelo átomo do Pai. Todo estudante ocultista conhece a lenda da guerra celeste, acontecida entre Lúcifer e Miguel.

O céu é a parte superior do Reino, e o inferno, como o nome diz, inferior. Muitas vezes Lúcifer tenta o homem enviando seus átomos para a cabeça. Quando o homem cai na tentação, significa que Lúcifer venceu. Se o estudante resiste ou vence a tentação, Lúcifer é derrotado. É assim que o Iniciado rouba fogo do diabo. A luz da sabedoria é proveniente do fogo de Lúcifer. Aliás, o próprio nome Lúcifer significa “o que faz luz”.

O Cristo sempre desce aos infernos não para acabar com os demônios, mas sim, para redimi-los. O estudante, qual redentor de seus átomos inferiores, nunca deve destruí-los, antes, levá-los ao reino superior. Quer dizer: deve sacar a luz aprisionada pelos demônios e, em fazendo isso, limpa as regiões inferiores do seu mundo atômico.

Portanto, o trabalho do Iniciado, como o do Cristo, quando desce aos infernos, é limpá-los. Recordemos um dos trabalhos de Hércules, o Cristo Solar dos gregos, que desceu ao Averno para limpar os estábulos de Áugias. Para isso, ele desviou as águas dos rios Aqueronte e Flagetonte, o que nos lembra os dois cordões ganglionares de Ida e Pingala, a serem estudados mais a frente.

O mal desintegra-se por si mesmo, desde que nos demos conta ou façamos consciência desse mesmo mal. Explicamos: ele se desintegra se assim o quisermos e à medida que o identificamos, analisamos, estudamos e o compreendemos em meditação, estudos e análises [essa disciplina é denominada de MORTE DO EGO e será abordada em Posts mais adiante].

O melhor ensino que podemos dar a nós mesmos e aos nossos filhos é a possibilidade da reeducação ou a auto-educação interna ou espiritual, aquela que ilumina todo o Reino com os raios solares provenientes do Íntimo.

A Força do pensamento concentrado

A luz é vibração do éter que atinge os olhos. O som é vibração do éter que faz vibrar o ouvido. O pensamento é vibração do éter que forma e impregna imagens na mente. Os pensamentos baixos e torpes atraem, ao corpo mental, materiais grosseiros, afastando, em decorrência, os átomos finos e rápidos (elevados). Se uma pessoa é nobre em seus pensamentos [o budismo fala dos 4 nobres pensamentos], atrairá para si vibrações dessa categoria. Note por aí, o quão importante é a educação da criança, infundindo-lhe pensamentos nobres ou o cultivo das Virtudes do Ser, como sempre ensinaram os grandes mestres.

A presença, em nosso meio, de um homem santo ou evoluído produz em nós vibrações superiores que nos ajudam a rejeitar, em nossa mente, a matéria grosseira. As altas vibrações de um Mestre ou Iniciado despertam na mente do estudante átomos de elevada frequência. Não é preciso conselhos para o estudante resolver seus problemas pessoais, basta-lhe que impregne sua mente com os pensamentos puros de um Anjo ou de um Mestre.

O homem é o único construtor e modelador de sua própria mente. As leituras e conselhos servem apenas para proporcionar material adequado para pensar, e o pensamento tem seu valor no uso que dele se faz. Porém, a leitura e os conselhos não formam a mente. O segredo, portanto, consiste em construir, mediante o pensamento puro e a alquimia, um corpo mental verdadeiro e apto a captar vibrações e manifestações do Íntimo e, ao mesmo tempo, emitir essas radiações aos demais. Porém, lembre-se: a melhor maneira de pensar é não pensar [raciocinar].

Por todas essas razões é que a concentração ganha um grande destaque nos exercícios esotéricos. Ensinam, os mestres de sabedoria, que é preciso desenvolver um grande poder de concentração para lograr as metas espirituais. Uma mente dispersa, que fica o tempo todo voando ou buscando novidades em diferentes autores e escolas, não está apta para a disciplina iniciática. Porém, é impossível ter pensamento concentrado com uma mente cheia de egos. Para lograrmos a verdadeira meditação, o verdadeiro pensamento concentrado, necessitamos, primeiro, esvaziar a mente. Esvaziar a mente quer dizer, literalmente, organizar a psique ou acabar com as causas que agitam a mesma mente: os egos.

O Poder da imaginação

Muitos se dedicam a fortalecer o poder da vontade. Porém, numa luta entre a vontade e a imaginação, a vontade sempre é derrotada. Por quê? A imaginação é a vontade do Íntimo sustentada pelo pensamento iluminado. E o pensamento sustentado é o pai de toda creação. Não existe nenhum outro caminho para se acercar do Íntimo que não seja a via da oração, da mística e da imaginação.

Mas, o que é imaginação? O que é fantasia?

É impossível para o homem comum distinguir as duas coisas no estado que se encontra hoje. De todo modo, vamos dizer que a imaginação é da natureza do Ser e a fantasia é da natureza do ego. Imaginação só é possível em uma mente organizada, limpa de egos. Enquanto a mente não estiver vazia e limpa, só poderemos fantasiar, jamais imaginar criativamente ou criar com o poder do pensamento.

O homem imagina-se como pensa; pensa como sente e sente como aspira (anela). Logo, para se pensar bem deve-se saber anelar.

A imaginação é o pensamento sustentado que fortalece a vontade. Mediante a vontade chega-se ao domínio da natureza física. Um homem de imaginação poderosa e desenvolvida pode esquadrinhar os mistérios de sua alma e os poderes latentes do seu Íntimo. Quem consegue chegar ao domínio de sua mente mediante o sábio uso da imaginação (Yantra-Yoga) adquire o poder de sujeitar todas as forças do universo e reger os fenômenos da natureza. Porém, repetimos: enquanto a mente não estiver limpa de egos é impossível a imaginação como ensinada aqui.

A mente divina é soberana no cosmos. Quando o homem, com sua imaginação, consegue conectar-se com sua mente, os poderes do homem se divinizam. Pela concentração, descobre-se a verdadeira natureza do objeto da concentração. É assim que se alcança o conhecimento de todos os pormenores de uma coisa, seja física, mental ou espiritual. Fixar a imaginação em alguém ou algo significa infundir nele nossos raios, nossa força e nossa presença, injetando nossos desejos, energias e aspirações.

A visão mental de um homem é tão penetrante que pode rasgar os véus que ocultam as verdades universais. Quem se abstrai do mundo externo e dirige sua concentração, mediante a imaginação, ao mundo do Íntimo, reconhece a única verdade do universo, sentindo-se o próprio Deus. É assim que o Iniciado se emancipa do mundo de trevas e ignorância, onde vive atualmente.

Atenção: A disciplina da mente, abordada aqui, não tem ligações com os famosos cursos e técnicas de poder mental. Esperamos que o estudante saiba apreciar a diferença. Os cursos de desenvolvimento mental, por desconsiderarem os aspectos divinos dessas práticas, geralmente acabam trazendo problemas e aborrecimentos aos seus praticantes, justamente porque prescindem da realidade, da vontade e das leis da vida. Noutras palavras: fortalecem e desenvolvem o Ego, tornando, assim, mais difícil o processo de esvaziamento da mente.

Nesta abordagem entregamos os primeiros elementos fundamentais das DUAS PRIMEIRAS JOIAS DA ORDEM DO DRAGÃO AMARELO.

Porém, esses ensinamentos só produzem resultado naqueles que já aprenderam a ciência do esvaziamento da mente ou da eliminação do ego.

Cérebro e pensamento

No cérebro, localizam-se os centros fisiológicos de atividade consciente; no cerebelo, os centros fisiológicos do subconsciente. Tanto num quanto noutro existem uma infinidade de filamentos nervosos que são os condutores das impressões captadas, interna e externamente. Ninguém, até hoje, explicou, satisfatoriamente, como funciona essa rede nervosa, como ela é influenciada e, por sua vez, influencia o corpo humano.

Os exemplos e situações abaixo poderão dar uma indicação dos efeitos que sofremos:

  1. A substância branca e cinzenta, que existe em nosso cérebro, deve ser excitada para que o organismo funcione (respiração, digestão, circulação, etc.). Essa excitação deixa de existir quando há asfixia ou outra situação anômala.
  2. A temperatura, a insolação, a raiva ou outro sentimento intenso aumenta essa excitação provocando o delírio.
  3. O álcool, as drogas e certas ervas aumentam essa excitação.
  4. O éter, o clorofórmio e os brometos, dentre outros, deprimem [e desmaiamos].

Esses são alguns meios físico-químicos de excitação-depressão do cérebro e cerebelo. Vejamos agora os meios anímicos:

  1. Tristeza e paixão podem levar à loucura ou à morte [se alimentados por muito tempo].
  2. Música, perfume e flor produzem alegria ou tristeza, dependendo dos fatores internos de cada um [o perfume do ser amado desperta-nos sentimentos ocultos].
  3. A meditação trabalha como excitador do cérebro, ainda que, também, e paralelamente, possa atuar como moderador das atividades cerebrais [e por isso gera estados de percepções extra-sensoriais].
  4. As orações, as emoções místicas e os sentimentos religiosos ou produzidos pela música dos grandes mestres igualmente atuam como estimulantes da atividade mental-espiritual [e por isso são indicados para estados adequados de meditação e de práticas místicas].

Poderíamos enumerar outros exemplos e situações, mas esses servem para ilustrar como somos estimulados e sensibilizados mediante acontecimentos, energias, luzes, perfumes, música, etc.

O Alimento do corpo astral

O alento [ar] é o grande alimento do corpo astral. Naturalmente, não fazemos referência ao ar físico, mas às suas propriedades metafísicas ou vitais. O ar, como alimento, deve passar e ser visto em suas sucessivas transformações. O ar é um composto de oxigênio, nitrogênio, azoto, vapor, anidrido carbônico, prana e éter cósmico. O oxigênio, em contato com a hemoglobina, transforma o sangue venoso em arterial.

Os demais gases atenuam a ação do oxigênio, sem o que, chegaríamos à morte. O éter, contido no ar, de forma invisível e até mesmo imperceptível para aparatos científicos modernos, formam a base energética do corpo vital e do corpo astral.

São muitas as pessoas que enfatizam a alimentação esquecendo por completo o ar e suas propriedades químicas, que é o alimento da alma, cujo parte física manifesta-se no sangue. Alguns cuidados muito simples são aconselháveis nesse pormenor. Por exemplo: evitar o uso de aquecedor em casa ou no quarto; não deixar flores e plantas no quarto de dormir (à noite a planta consome oxigênio); sempre que possível deixar porta ou janela aberta para renovação/circulação do ar.

Numa respiração, dita normal, os pulmões recebem uns 470 cm3 (0.47 litro) de ar. Numa respiração consciente, profunda e completa esse volume aumenta para quase 2 mil cm3. Após algum treino, uma pessoa adulta pode inalar até 5 mil cm3 ou mais a cada respiração [dependendo do tamanho de seu pulmão]. É importante saber também que a respiração dita normal não elimina o ar viciado. Só a respiração profunda elimina o ar viciado que ocasiona muitas doenças pulmonares e enfraquecem aos poucos o nosso organismo.

De todo modo é bom esclarecermos que existem outros alimentos refinados do corpo astral. Além dos já mencionados anteriormente, temos o Hidrogênio Si-12 – o mais completo deles, e falaremos disso em breve. Para o momento é suficiente dizer que isso que comumente as pessoas chamam de “corpo astral” precisa ser vivificado, e isso e feito com respiração correta, profunda, e pela fabricação do Hidrogênio Si-12, que é fabricado pela prática alquímica.

O Poder da respiração

O chamado corpo astral, invólucro da alma, tem um de seus principais alimentos na respiração. Por esse mesmo motivo devemos estudar até à perfeição o mistério da respiração para compreender, no futuro, como se deve desenvolver este corpo para os devidos fins. O homem que ainda não se desenvolveu plenamente (não se autorrealizou) tem seu corpo astral vagamente formado, mais parecendo uma névoa que um corpo de carne e osso (de matéria astral, logicamente).

Não vamos aqui descrever em detalhes como funciona o mecanismo da respiração. Apenas complementaremos o que já foi dito em Posts anteriores, salientando alguns aspectos que normalmente não são tratados nas enciclopédias médicas. Se os pulmões são o fole do corpo, através deles podemos nos comunicar com o corpo astral. Toda vez que alargamos a caixa toráxica numa inspiração profunda, alargamos também o corpo da alma. Não é, portanto, sem motivos que muitas técnicas de relaxamento e desdobramento começam com uma série de exercícios de respiração.

A respiração automática, dita normal, serve unicamente para manter o pequeno fio da vida. Porém, não é suficiente para manter a vida e fortalecer a ação do corpo astral ou corpo da alma, porque esse tipo de respiração não tem pressão e força suficientes para alcançar todo o corpo pulmonar. O oxigênio que chega aos pulmões pela respiração só tem o poder de transformar o sangue venoso em sangue arterial.

Outro detalhe: deve-se respirar pelo nariz não só porque ali existem filtros para aparar as impurezas e aquecer o ar antes de alcançar aos pulmões, mas sim, principalmente, porque é na base do nariz, no corpo etérico, que estão os dois canais da vitalidade (ida e pingala) que, depois de passarem pelo cérebro, descem pela coluna vertebral até os genitais (testículos e ovários).

Polaridades da respiração

Assim como a vida oferece os seus altos e baixos, dias e noites, alegrias e tristezas, também a respiração tem duas polaridades, que podemos denominar “solar” e “lunar” ou positiva e negativa. O estudante já deve ter observado que, às vezes, o ar é aspirado em maior quantidade pela narina direita e, outras vezes, pela esquerda. O que talvez poucos percebam é que essa alteração é cíclica e pode ser controlada por qualquer pessoa. Diz-se que uma respiração é positiva ou solar quando acontece pela narina direita e lunar ou negativa quando acontece pela esquerda.

A cada hora, em média, acontece a mudança. Isso significa que ora somos ativos, ora passivos; há ciclos de trabalho e de repouso; períodos mais quentes e mais frios. Neste contexto, se uma pessoa está deprimida, deve respirar pela narina direita porque assim fazendo, estará estimulando os átomos solares, injetando vitalidade ou força solar, capaz de vencer a depressão. Por outro lado, se uma pessoa está muito agitada, ela deve respirar pela esquerda (se for homem) ou pela direita (se for mulher); com isso se acalmará mais facilmente.

Existem duas maneiras de se controlar a respiração por uma narina. Se você quer respirar pela narina esquerda, deve usar ou colocar debaixo do seu braço direito um livro ou objeto qualquer. Os yogues na Índia usam um guarda-chuva ou bastão debaixo do braço. Com isso, ao cabo de alguns instantes, estará aspirando ar em maior quantidade pela narina esquerda. Outra maneira: para alguém respirar pela narina esquerda, deve deitar-se do lado direito. E vice-versa.

Com essas duas técnicas, os estudantes poderão controlar sua respiração de acordo com seu estado de ânimo ou necessidade física. Um trabalho físico intenso exige uma respiração positiva, solar. Um trabalho de meditação, de repouso, normalmente pede uma respiração pela narina esquerda.

Há momentos em que as duas narinas estão abertas permitindo intenso fluxo de ar vital. Esses são os melhores momentos para se fazer ou iniciar grandes tarefas, pois nesse caso, a força é dupla. Dizem as antigas tradições que todo grande feito do homem é conquistado nesses momentos. Por isso pedimos, à partir de agora, que o estudante preste bastante atenção na sua maneira de respirar. Se as vezes a cólera inflama sua aura, pode significar que durante todo o dia, devido a uma anomalia qualquer, respirou só com a narina direita. Desse modo a energia solar inundou todo seu sistema nervoso, desequilibrando-o.

Em resumo, a respiração, junto com a alimentação, forma a base da vida humana. É uma pena que o ser humano não tenha aprendido a respirar e a comer. Daí as doenças e desgraças que assolam nossas vidas, especialmente depois dos 40 anos.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s