Nosso mundo e seu desenvolvimento

Pelo poder da Mãe de Misericórdia e Conhecimento, Kwan-Yin – a Trina de Kwan-Shai-Yin, que mora em Kwan-Yin-Tien – Fohat, o Sopro de sua Progênie, o Filho dos Filhos, tendo feito sair das profundezas do Abismo inferior a Forma Ilusória de Sien-Tchan e os Sete Elementos.

Pleiades - As sete irmãsA grande dificuldade para os animais intelectuais de hoje é compreender o Mistério do Hermafroditismo Divino, o qual ensina que uma mesma realidade ou Ser é Pai-Mãe e, de si mesmo, gera o Filho, porém, contendo os mesmos princípios e atributos de seu Gerador ou seu Pai-Mãe. Assim, racionalmente, é difícil compreender e explicar que uma Deusa, com os mesmos atributos de Ísis (Kwan-Yin), possa ser Mãe, Esposa e Filha. Este sloka descreve, em linguagem desconhecida, há muito desaparecida das religiões, o surgimento do nosso universo, baseado em arquétipos ou modelos existentes em precedentes Dias Cósmicos, como proveniente da fecundação do Caos – o Abismo – pelo poder fecundante do aspecto masculino da própria divindade feminina aqui expressa. Ou seja: quando os seres hermafroditas querem gerar um filho eles fecundam a si mesmos, engravidam a si próprios, com sua própria energia, gestam e dão à luz um novo ser que reúne todas as características originais de seus progenitores. Porém, isso já não existe mais no universo físico. Daí a dificuldade de compreendermos e de explicarmos.

O Veloz e Radiante Um produz os Sete Centros Laya contra os quais ninguém prevalecerá até o Grande Dia “Sê Conosco”; e assenta o Universo sobre estes Eternos Fundamentos, rodeando Sien-Tchan com os Germes Elementais.

O Logos Solar emana os sete núcleos sobre os quais, mais tarde, aparecerão ou se condensarão os sete planetas ou sete Logos Planetários que o acompanharão até o final dos tempos. Sien-Tchan é o próprio universo com suas infinitas possibilidades que existem e se expressam através das Mônadas ou dos Átomos.

Dos Sete – primeiro Um manifestado, Seis ocultos, Dois manifestados, Cinco Ocultos; Três manifestados, Quatro Ocultos; Quatro produzidos, Três Ocultos; Quatro e Um Tsan revelados, Dois e Meio ocultos; Seis para serem manifestados, Um deixado à parte. Por último, Sete Pequenas Rodas girando; uma dando nascimento à outra.

Aqui temos os sete elementos da natureza. Deles, o homem já conhece ou dominou 4: fogo, ar, água e terra. Na próxima ronda conhecerá e dominará o Éter. Esses elementos estão ligados às diferentes dimensões onde o homem tem sua existência, por meio de seus sete corpos. E é também com base nesses materiais que a divindade constrói os mundos, sóis e planetas.

Ele as constrói à semelhança das Rodas mais antigas, colocando-as nos Centros Imperecíveis. Como as constrói Fohat? Ele junta a Poeira de Fogo. Forma Esferas de Fogo, corre através delas e em seu derredor, insuflando-lhes a vida; e em seguida as põe em movimento; umas nesta direção, outras naquela. Elas estão frias, ele as aquece. Estão secas, ele as umedece. Brilham, ele as ventila e refresca. Assim procede Fohat, de um a outro Crepúsculo, durante Sete Eternidades.

Este sloka, por si só, complementa a explicação dos anteriores. Aqui termina a parte que diz respeito à Cosmogonia do Universo. A partir deste sloka ou verso, as Estâncias se ocupam com a vida humana e em nossa sistema solar.

Na Quarta, os Filhos recebem ordem de criar suas Imagens. Um Terço recusa-se; Dois Terços obedecem. A Maldição é proferida. Nascerão na Quarta; sofrerão e causarão sofrimento. É a Primeira Guerra.

O lapso de tempo transcorrido entre o que descreve o Sloka anterior e este é inimaginável para nosso entendimento racional. Durante esse período, a Terra, além de ter aparecido como uma bola de fogo nesta região da nossa Galáxia, foi se condensando e materializando aos poucos. O tempo referencial deste Sloka é a quarta raça da quarta ronda do quarto globo da cadeia planetária a que pertence a Terra. Isso quer dizer que há toda uma história de aparecimento e formação de Mônadas na cadeia de planetas a que pertence a Terra, escondida nesse período e que, aos poucos, foram criando, desenvolvendo e aperfeiçoando corpos sutis até que um dia puderam se manifestar fisicamente como seres humanos em nosso planeta, o que só ocorreu na Terceira Raça-Raiz da atual Ronda Planetária. A Terceira Raça-Raiz exsudou sua própria forma e aparência, à imagem e semelhança que possuía na antiga Cadeia Planetária, da qual, visivelmente, resta a Lua como muda testemunha. Essa aparência era a de um gigantesco macaco, porém dotado de inteligência e espiritualidade. Muitas Mônadas, oriundas da antiga Terra-Lua, se recusaram a habitar esse corpos, numa clara desobediência à vontade divina e, também, por soberba. Está aí a origem da mais antiga rebelião dos céus que acabou gerando pesado karma para esse grupo. Para não cairmos em polêmicas inúteis, omitimos aqui o povo ou nação onde esses antigos seres estão encarnados e pagam seu karma, até nossos dias.

As Rodas mais antigas giravam para baixo e para cima… Os frutos da Mãe enchiam o Todo. Houve combates renhidos entre os Criadores e os Destruidores, e combates renhidos pelo Espaço; aparecendo e reaparecendo a Semente continuamente.

Significa que a vida não é algo estanque. Cada planeta, cada sistema solar está, num dado momento, com um processo particular e específico. Só que o mesmo se repete ao infinito, noutros planetas, sistemas solares e Galáxias. Na cadeia planetária da Terra, a vida, nos reinos mineral, vegetal, animal e humano, continuava sua trajetória e sua tarefa sempiterna de aperfeiçoamento, ou seja, os frutos da Mãe enchiam o Todo. Enquanto novos mundos vêm à luz, outros são destruídos, entram em Pralaya, mas a vida, o movimento, o som, jamais cessa, numa espécie de moto-contínuo.

Faze os teus cálculos, ó Lanu, se queres saber a idade exata da Pequena Roda. Seu Quarto Raio “é” nossa Mãe. Alcança o Quarto Fruto da Quarta Senda do Conhecimento que conduz ao Nirvana e tu compreenderás, porque verás..

Para calcular agora, a idade exata da nossa cadeia planetária seria preciso conhecer a data precisa do seu nascimento. Os mestres não revelaram esses dados. Todavia, os Iniciados podem ter acesso aos cômputos secretos da natureza. O quarto fruto vem a ser a quarta iniciação de Mistérios Maiores, que é a Senda do Conhecimento ou da Gnose – um assunto a ser abordado mais adiante em novos Posts. O quarto Raio é a nossa amada Terra.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s